Recursos e ferramentas para uma vida sem descartáveis

Julho é o mês do #DesafioZeroDescartável. Uma iniciativa idealizada pela BeeGreen e realizada em parceria com marcas e instituições que são referências em sustentabilidade. O movimento Renovar o Nosso Mundo participa e indica o #DesafioZeroDescartável. Por isso, desafiou jovens cristãos do Jogo Vocare Em Ação para adotarem hábitos mais sustentáveis, no sentido de diminuir o uso de descartáveis no dia-a-dia e, assim, não contribuir para que em 2050 tenha mais plástico do que peixes nos oceanos.

Se você ainda não fez sua inscrição para participar do #DesafioZeroDescartável, faça agora (clique aqui) e receba orientações que vão lhe ajudar a cumprir este desafio.

Além de incentivar as pessoas a mudanças de hábitos, para que adotem um modo de vida menos nocivo ao meio ambiente, o movimento Renovar o Nosso Mundo também entende a importância de que grandes empresas, como a Coca-Cola, Unilever, PepsiCo e Nestlé reduzam a produção de plástico. Elas são as quatro maiores poluidores de plástico no mundo. A questão urgente é se essas empresas estão dispostas a implementar ações concretas para diminuir a quantidade de plástico de uso único que produzem (Para saber mais, clique aqui).

A BeeGreen disponibiliza gratuitamente uma série de materiais de excelente qualidade para quem quer saber mais sobre o assunto e encarar este desafio de reduzir o uso de descartáveis. Confira abaixo e faça o download.

lang_blog_latest

#AmazôniaNossoÉden: Recursos para se manifestar no Dia da Amazônia

Neste domingo, dia 05/09, será comemorado o Dia da Amazônia!

Por isso, queremos mobilizar lideranças, pastores/as, comunidades, organizações e pessoas evangélicas a se posicionarem a favor da conservação deste bioma tão importante e essencial para grande parte dos povos originários, mas também para a proteção do clima e do meio ambiente.

RECAP elabora Cartilha de Orientação às igrejas a respeito da tese do Marco Temporal

Hoje, 01/09, a votação do PL 490 volta à pauta do Supremo Tribunal Federal (STF).

O PL 490 apresenta várias ameaças aos indígenas e o ponto mais criminoso deste projeto é a tese do Marco Temporal, a qual alega que as populações indígenas só tem direito às terras das quais já tivessem posse comprovada em 5 de outubro de 1988, data da promulgação da atual Constituição Brasileira, mesmo sendo eles os originários.